segunda-feira, 30 de maio de 2011

ESTUDO ESTATÍSTICO COMPARATIVO DAS CORRIDAS DE QUARTO-DE-MILHA: BRASIL X EUA

O objetivo deste trabalho é o de ter um panorama geral sobre as corridas oficiais de quarto-de-milha no Brasil, mais exatamente no JC de Sorocaba e JCSP(Gran Prix, GPs e South American Challenge). A sua comparação com os resultados norte-americanos foi realizada para diferenciar as tendências utilizadas em cada país, principalmente em termos de genética.
Como são dados estatísticos, a leitura e interpretação dos mesmos ficam por conta dos criadores e proprietários, não sendo esta a abordagem deste artigo.
Abaixo segue metodologia utilizada, para melhor elucidação:
1)      Utilizado o critério vitórias, sendo nos anos de 2009 e 2010, houve 80 e 92 animais vencedores nas provas nacionais, respectivamente. Para a comparação com a estatística dos EUA, foram utilizados os primeiros 80 colocados por número de vitórias de 2009 e os primeiros 92 animais de 2010.
2)      O termo STAKEWINNER refere-se a todo o ganhador de torneio ou GP.
3)      O termo égua produtora refere-se aquelas que produziram stakewinners anterior ao dos anos em questão; égua ganhadora refere-se aquelas que foram vencedoras de torneios e GP.
4)      O termo INFLUÊNCIA GENÉTICA refere-se ao animal que mais presença de sangue (DNA) possui nos indivíduos estudados, em porcentagem.
5)      O termo OUTCROSS refere-se ao pedigree sem repetição do mesmo indivíduo nas cinco gerações antecedentes.
6)      O termo apêndice refere-se a animais com sangue PSI no mínimo até ¼. Não foram considerados os animais 1/8.
7)      Itens não comparados: porcentagem de castrados e porcentagem do mês de nascimento.
ESTATÍSTICAS GERAIS POR VITÓRIAS (2009/2010)

BRASIL
USA
MACHOS
52,75%
79% (70,3% castrados)
FÊMEAS
48,25%
21%
NASCIMENTO


JULHO
26,74%
-
AGOSTO
25%
-
SETEMBRO
25,60%
-
OUTUBRO
16,28%
-
NOVEMBRO
2,90%
-
DEZEMBRO
0
-
TEMPORADA AMERICANA
3,48%
-
IDADE MÉDIA DAS MÃES
10,7 anos
8,8 anos
ATÉ 5 ANOS
13,96%
12,42%
DE 6 A 10 ANOS
38,38%
52,80%
DE 11 A 15 ANOS
30,80%
29,80%
DE 16 A 20 ANOS
12,80%
4,35%
DE 21 A 25 ANOS
4,06%
0,63%
APÊNDICES
18%
43%
MÃES GANHADORAS
19%
8,14%
MÃES PRODUTORAS
33%
15,70%
MÃES IMPORTADAS
24,41%
-

PRINCIPAIS INFLUÊNCIAS GENÉTICAS (GERAL)
BRASIL


USA

% Produtos
% Produtos

EASY JET
19,80
23,25
DASH FOR CASH
DASH FOR CASH
19,20
12,2
OUTCROSS
THREE BARS
19,20
9,3
THREE BARS
BEDUINO
9,30
8,72
JET DECK
CHICKS BEDUINO
5,80
8,72
PSI
OUTCROSS
5,80
8,14
FIRST DOWN DASH
ROCKET WRANGLER
4,07
7,55
EASY JET
STREAKIN SIX
2,90
6,4
BEDUINO
FIRST DOWN DASH
2,30
2,32
FEMEAS
JET DECK
2,30
2,32
GO MAN GO
PSI
2,30
2,32
STREAKIN SIX


ESTATÍSTICAS STAKEWINNERS (2009/2010)

BRASIL
USA
MACHOS
61%
77% (67% castrados)
FÊMEAS
39%
23%
NASCIMENTO


JULHO
34,20%
X
AGOSTO
19,50%
X
SETEMBRO
26,80%
X
OUTUBRO
17,10%
X
NOVEMBRO
2,40%
X
IDADE MÉDIA DAS MÃES
10,3 anos
8,9 anos
DE ATÉ 5 ANOS
19,50%
9,70%
DE 6 A 10 ANOS
41,50%
55,30%
DE 11 A 15 ANOS
24,40%
31%
DE 16 A 20 ANOS
7,30%
3,20%
DE 21 A 25 ANOS
7,30%
0,80%
APÊNDICES
19,50%
43%
MÃES GANHADORAS
17%
9%
MÃES PRODUTORAS
41,50%
19%
MÃES IMPORTADAS
29,30%
X

PRINCIPAIS INFLUÊNCIAS GENÉTICAS (STAKEWINNERS)
BRASIL


USA

% PRODUTOS
% PRODUTOS

DASH FOR CASH
22,00
20,50
DASH FOR CASH
THREE BARS
19,50
14,40
OUTCROSS
EASY JET
17,00
9,90
THREE BARS
CHICKS BEDUINO
14,60
9,10
FIRST DOWN DASH
ROCKET WRANGLER
5,00
8,33
JET DECK

Os resultados estatísticos realizados com os animais ganhadores de mais de U$ 100 mil nos EUA, são relativamente diferentes. Quem tiver interesse nesses resultados favor encaminhar email.
Agradecimentos especiais ao amigo Marcelo Jorge e ao JC Sorocaba por ter disponibilizado todos os dados necessários.
Referências:
www.allbreedpedigree.com
www.abqm.com.br
www.aqha.com/racing
www.equineline.com



Um comentário:

  1. Caro Dr. Francisco, achamos muito interessante este material e gostaríamos de publicá-lo como artigo na revista Horse's Life, naturalmente citando a fonte e seus dados de contato. Para o futuro, seria também interessante novo artigo explicando ao leitor leigo ou iniciante o significado dos dados estatísticos. Também acredito que o termo "Outcross" listado em meio aos reprodutores causará alguma confusão entre os neófitos, que poderão presumir tratar-se de um garanhão deste nome. Vamos nos falando! Obrigada,
    Claudia Leschonski
    Revista Horse's Life
    leschonski@terra.com.br

    ResponderExcluir